A pedra da loucura em frases sobre a insanidade de todos nós

por Homero Nunes

por Homero Nunes
na coluna Ipsis Litteris

“Cada louco é guiado por um cadáver”

Arthur Bispo do Rosário

 

Doido de pedra é expressão da loucura maior, daquela insanidade que soltou as amarras do comportamento, da imaginação. Da literatura e da arte, uma seleção de frases sobre a loucura e imagens sobre a extração da pedra da cabeça.

Hieronimus Bosch, detalhe d'O Jardim das Delícias Terrenas, Inferno, 1504

Hieronimus Bosch, detalhe d’O Jardim das Delícias Terrenas, Inferno, 1504

Os loucos já foram os profetas, oráculos, sábios e filósofos. No mundo antigo, também os apaixonados. No medievo, encapetados e possuídos. Na Renascença, artistas e inteligentes demais. Na modernidade, os desviantes, os inaptos, inadaptados, doentes mentais. O perigo ou a desordem. O hospício se tornou o depósito de loucos e a farmácia se encarregou de dopar, em tarjas pretas, aqueles que saem da linha, do enquadramento, do normal.

Medicados, domesticados e vigiados, os loucos passaram a babar nas lapelas ou guardar devaneios no quarto dos fundos, com a porta fechada quando a visita chega. Taxados e rotulados, perderam a autonomia, o poder de decidir sobre as próprias loucuras. Não tem saída, qualquer coisa que fizerem reforça o diagnóstico: se nega que é louco, continua sendo, se assume, mais ainda. Quem define isso são os outros, os normais, ainda não devidamente diagnosticados.

Porém, antes dos alienistas e estudiosos que negam e trancafiam e muito antes daqueles que prescrevem e servem pílulas aos necessitados, existiam aqueles que operavam, os que extraíam a pedra da loucura cirurgicamente. Cortavam o crânio e, com uma pinça, retiravam a parte doida da massa, o lóbulo doido da fronte. A extração da pedra da loucura corrigia os excessos, as sobras que desgovernam o cérebro.

Cenas da arte dos séculos XV, XVI, XVII, a pedra e a pinça, o extrator e o louco, confirmam o medo da insanidade e daquilo que ela pode arrebatar nos homens. Também o fascínio, o interesse que faz dela um pouco de todo mundo. Personagens da literatura, figuras do pensamento, o louco e a loucura são temas do imaginário e perdas temporárias que enfrentamos em nós. Permanentes talvez. Aqui, em contradição entre o terrível e o sublime, uma seleção de imagens e frases sobre a pedra da loucura e a insanidade de todos nós:

Hieronymus Bosch, A Extração da Pedra da Loucura, 1475-80

Hieronymus Bosch, A Extração da Pedra da Loucura, 1475-80

Em si mesma, a loucura é já uma rebelião. O juízo é a ordem, é a constituição, a justiça e as leis.”

Machado de Assis

 

“A loucura, objeto dos meus estudos, era até agora uma ilha perdida no oceano da razão; começo a suspeitar que é um continente.’

Machado de Assis, O Alienista, 1882

 

“Nossas alucinações são alegorias de nossa realidade.”

Carlos Drummond de Andrade

 

“A loucura é diagnosticada pelos sãos, que não se submetem a diagnóstico. Há um limite em que a razão deixa de ser razão, e a loucura ainda é razoável. Somos lúcidos na medida em que perdemos a riqueza da imaginação.”

Carlos Drummond de Andrade

 

“Uma parte de mim pesa e pondera. Outra delira.”

Ferreira Gullar

 

“Poeta é um ente que lambe as palavras e depois se alucina.”

Manoel de Barros

 

“No osso da fala dos loucos têm lírios.”

Manoel de Barros

 

“Se não está todo mundo meio doido, eu estou completamente.”

Millôr Fernandes

 

“Todo mundo é maluco. Depende de onde você cutuca.”

Millôr Fernandes

 

Bruegel, o Velho - A Extração da Pedra da Loucura, 1568

Bruegel, o Velho – A Extração da Pedra da Loucura, 1568

Não é o medo da loucura que nos vai obrigar a hastear a meio-mastro a bandeira da imaginação.”

André Breton, Manifesto Surrealista, 1924

 

“Mas o medo da loucura, só o medo da loucura nos levará a ultrapassar as fronteiras invioláveis da nossa solidão.”

Anaïs Nin

 

“Creio que quase sempre é preciso um golpe de loucura para se construir um destino.”

Marguerite Yourcenar

 

“Para tornar a realidade suportável, todos temos de cultivar em nós certas pequenas loucuras.”

Marcel Proust

 

“Sua teoria é louca, mas não suficientemente louca para ser verdade.”

Niels Bohr

 

“Quando lembramos que somos todos loucos, o mistério desaparece e a vida fica explicada.”

Mark Twain

 

“Nunca existiu uma grande inteligência sem a faísca da loucura.”

Aristóteles

 

“A pior das loucuras é, sem dúvida, pretender ser sensato num mundo de doidos.”

Erasmo de Rotterdam, O Elogio da Loucura, 1511

 

“Mas, na minha opinião, o homem é tanto mais feliz quanto mais numerosas são as suas modalidades de loucura.”

Erasmo, O Elogio da Loucura, 1511

 

“Segundo a definição dos estóicos, a sabedoria consiste em ter a razão por guia; a loucura, pelo contrário, consiste em obedecer às paixões; mas para que a vida dos homens não seja triste e aborrecida Júpiter deu-lhe mais paixão que razão.”

Erasmo, O Elogio da Loucura, 1511

Pieter Huys, A Extração da Pedra da Loucura, 1561

Pieter Huys, A Extração da Pedra da Loucura, 1561

O louco, o amoroso e o poeta estão recheados de imaginação.”

William Shakespeare

 

“Um homem precisa de um pouco de loucura. Ou então nunca conseguirá quebrar as regras e ser livre.”

Nikos Kazantzakis, Zorba, o grego

 

“Eu só confio nas pessoas loucas, aquelas que são loucas pra viver, loucas para falar, loucas para serem salvas, desejosas de tudo ao mesmo tempo, que nunca bocejam ou dizem uma coisa corriqueira, mas queimam, queimam, queimam, como fabulosas velas amarelas romanas explodindo como aranhas através das estrelas.”

Jack Kerouac

 

“Porque as pessoas loucas o bastante para acreditar que podem mudar o mundo, são as que o mudam.”

Jack Kerouac

 

“Essa loucura roubada que não desejo a ninguém a não ser a mim mesmo, amém.”

Charles Bukowski

 

“Às vezes a gente pensa que está num asilo de loucos. Quem disse que não estamos?”

Charles Bukowski

 

“Ao lidar com insanos, o melhor método é fingir ser são.”

Herman Hesse

 

“A única diferença entre eu e um homem louco é que eu não sou louco!”

Salvador Dalí

 

“Quanto a considerar-me totalmente são, não devemos fazê-lo. As pessoas da região que são doentes como eu, falam a verdade: podemos viver muito ou pouco, mas sempre haverá momentos em que perderemos a cabeça. Peço-lhe portanto que não diga que eu não tenho nada. Se aprecias meu trabalho, tudo bem, mas continuo sempre louco.”

Vincent Van Gogh, Carta a Theo, Arles, 1888

Jan Sanders Hemessen, A Extração da Pedra da Loucura, 1555

Jan Sanders Hemessen, A Extração da Pedra da Loucura, 1555

Todos nós nascemos loucos. Alguns permanecem.”

Samuel Beckett

 

“Ninguém se dá conta de que algumas pessoas gastam uma energia enorme apenas para serem normais.”

Albert Camus

 

“Louco (adjetivo): afetado por um alto grau de independência intelectual.”

Ambrose Bierce, n’O Dicionário do Diabo, 1911

 

“A ciência ainda não nos provou se a loucura é ou não o mais sublime da inteligência.”

Edgar Allan Poe

 

“E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música.”

Friedrich Nietzsche

 

“Não é a dúvida, mas a certeza, que o torna louco.”

Nietzsche

 

“Nos indivíduos, a loucura é algo raro – mas nos grupos, nos partidos, nos povos, nas épocas, é regra.”

Nietzsche

 

“E que se considere perdido todo o dia em que se não houver dançado pelo menos uma vez, e que se considere falsa toda a verdade que não foi acompanhada de risos.”

Nietzsche, Assim Falava Zaratustra

 

“Sem dúvida, um pouco de sensatez, disperso de estrela em estrela, é o fermento que existe em todas as coisas; foi para que elas pudessem ser mais loucas que um pouco de sensatez se incorporou às coisas. Pode existir um pouco de sensatez, é certo, mas eis a divina certeza que em todas as coisas encontrei: é com as pernas do acaso que elas preferem – dançar!”
Nietzsche, Assim Falava Zaratustra

David Teniers, A Extração da Pedra da Loucura, 1670

David Teniers, A Extração da Pedra da Loucura, 1670

 

Mas eu não quero me encontrar com gente louca, observou Alice.

Você não pode evitar isso, replicou o gato.

Todos nós aqui somos loucos. Eu sou louco, você é louca.

Como você sabe que eu sou louca? indagou Alice.

Deve ser, disse o gato, Ou não estaria aqui.”

Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas

 

Coluna: Ipsis Litteris
www.facebook.com/issocompensa


Sobre os autores

Acompanhe