Milton Santos e o mundo global visto do lado de cá

por Homero Nunes
por Wilson Zaidan

Sobre Milton Santos e sua incrível abordagem do espaço, compensa o documentário“Encontro com Milton Santos – o mundo global visto do lado de cá”, dirigido pelo cineasta brasileiro Silvio Tendler. O documentário tem como eixo central uma entrevista com o geógrafo (gravado apenas 04 meses antes de sua morte), e nos esclarece que, se quisermos fugir do perigoso território da percepção enganosa que o mundo globalizado nos apresenta, devemos considerar no mínimo, a existência de três mundos em um só: O mundo como nos fazem ver (a Globalização como fábula); o mundo tal como ele é (a Globalização como perversidade); e o mundo como ele pode ser – nas palavras de Milton Santos – “uma outra globalização..”.


Milton Almeida dos Santos foi um geógrafo Brasileiro que recebeu destaques internacionais – como o prêmio Vautrin Lud em 1994, o prêmio Nobel da Geografia – por suas obras e sua inovadora abordagem da organização do novo mundo, precisamente dentro da área da Globalização, ocupação do espaço e processos de urbanização. Nascido no coração da região semi-árida de Brotas de Macaúbas, ainda jovem, Milton Santos migrou pelo interior da Bahia com sua família (professores primários) passando por Ubaitaba, Alcobaça e por fim, Salvador. O processo de movimento das populações migratórias despertou-lhe o interesse pela Geografia e ocupação do espaço. Antes de chegar em Salvador, ainda uma criança, Milton Santos foi alfabetizado, aprendeu álgebra e francês. 

A princípio, na Universidade Federal da Bahia, Milton Santos se graduou em Direito, porém o seu interesse pelo espaço como objeto de estudo nunca foi deixado de lado. Após o título de bacharel em Direito, Milton Santos assume o cargo de professor catedrático da disciplina de Geografia Humana no colégio municipal de Ilhéus, cidade da qual, paralelamente, desenvolveu atividades jornalísticas e se envolveu com o mundo político de esquerda. Concluiu seu doutorado na França, regressou ao Brasil e criou o laboratório de Geomorfologia e Estudos Regionais. Em 1964, em razão de um golpe militar, Milton Santos é exilado do país, e devido a sua situação política, o geógrafo inicia sua carreira acadêmica internacional, passando pela França, Estados Unidos, Venezuela, Tanzânia, etc.

O documentário encontra-se na íntegra no youtube:

De Milton Santos, também compensa:
SANTOS, Milton. Por uma outra globalização – do pensamento único à consciência universal. São Paulo: Editora Record, 2000.
SANTOS, Milton. O espaço dividido. Os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979 (Coleção Ciências Sociais)
SANTOS, Milton; SOUZA, Maria Adélia A.(org.). A construção do espaço. São Paulo: Nobel, 1986.


Pauta, texto e ideias disseminadas por Wilson Zaidan.


www.facebook.com/issocompensa


Sobre os autores

Acompanhe