O disco Animals e a história do porco do Pink Floyd

por Homero Nunes
A quatro patas:
por LG Moura e Homero Nunes

Nos delírios do Pink Floyd, um porco flutua entre as torres da usina. O disco Animals foi inspirado n’A Revolução dos Bichos, de George Orwell, e o tal porco da capa é referência aos personagens do livro, que também aparecem nas músicas, em metáforas, ao lado de cães e ovelhas – Pigs, Dogs & Sheeps. A foto da capa é da usina elétrica de Battersea, em Londres, construída nos anos 30, hoje abandonada, deteriorada pelo tempo, mas imortalizada na capa do Animals.


O porco original da capa de Animals foi desenhado por Roger Waters e construído em dezembro de 1976. O artista responsável por construir esse imenso balão em formato de porco foi Jeffrey Shaw, com a ajuda da equipe de Designers da Hipgnosis (empresa que fez praticamente todas as capas de discos da banda). Com quase 13 metros de comprimento e cheio de gás Hélio, o balão deveria sobrevoar a Battersea Power Station, localizada na margem sul do rio Tâmisa, South West London.


No primeiro dia da sessão de fotos, um atirador de elite ficaria à espera para abater o porco voador caso ele se soltasse. No entanto, devido ao forte vento no dia o porco não foi lançado. No segundo dia o atirador não estava presente, porque ninguém lhe disse para voltar. No terceiro dia o porco foi lançado ao ar e se soltou devido a uma forte rajada de vento, ganhando muita cobertura da imprensa européia, o que gerou especulações que fora estratégia de marketing para gerar mídia espontânea para a banda.


Apelidado de Algie, o imenso porco voador desapareceu de vista em cinco minutos e teria sido avistado por pilotos de aviões comerciais em altitudes próximas a 30.000 pés, 10km. Vôos do aeroporto de Heathrow foram cancelados devido aos riscos que o inflável representava às aeronaves ao longo do Canal da Mancha. Finalmente, naquela mesma noite, o porco aterrissou em uma propriedade rural em Kent, no sudeste  da Inglaterra.

Recuperado e reparado, enfim, hora de realizar a fotografia para a capa do álbum. Infelizmente o céu estava azul e sem nuvens, o que foi considerado sem graça para os padrões ingleses pela equipe da Hipgnosis. Sendo assim, a foto de capa do álbum foi composta por uma montagem entre as fotos da primeira e da terceira sessão de fotos.

Depois que o álbum Animals foi lançado em 1977, o Pink Floyd começou a excursionar com a turnê In the Flesh. Durante os shows o porco aparecia envolto em uma nuvem de fumaça durante as performances de Pigs (Three Different Ones). Até hoje Roger Waters costuma soltar grandes porcos infláveis em seus shows. No último no Brasil, da tournée The Wall, estava escrito no porco: “povo que aceita tudo calado – muita fé e pouca luta – não confie nos políticos – Brasil paraíso da corrupção e impunidade – o novo código florestal vai matar o Brasil” e mais palavras de ordem. Concordamos, Mr. Pig!


Referências:
Inside Out – a verdadeira história do Pink Floyd
por Nick Mason, o baterista da banda

Nos Bastidores do Pink Floyd
por Mark Blake

Sobre os autores

Acompanhe