Os incríveis mistérios de Alfred Hitchcock

por Homero Nunes
“Eu sou um filantropo: Eu dou às pessoas o que querem.
 As pessoas adoram estar horrorizadas, apavoradas.”
Alfred Hitchcock
Perceber Alfred Hitchcock (1899 – 1980) como figurante em seus filmes é só um detalhe entre fotografia, movimentos de câmera, planos e muito suspense. O diretor sempre dava o ar da graça em alguma cena qualquer dos filmes, aparecendo como um simples transeunte ou um passageiro distraído no ônibus. Mas, na verdade, Hitchcock aparece mesmo é na originalidade do roteiro e na genialidade da direção. Apelidado respeitosamente de o mestre do suspense, ele dirigiu 55 filmes e produziu ou roteirizou, realizou, quase uma centena deles, incluindo aqueles feitos para a TV. Muitos foram consagrados como clássicos e alguns se repetem em todas as listas de grandes e importantes do cinema. São misteriosos e intrigantes, sempre com um olhar próprio do diretor, daqueles que nos deixam curiosos ou surpresos, na expectativa ou tomados pelo espanto. Hitchcock era um perfeccionista, um diretor ao extremo da expressão — preste atenção nos movimentos de câmera, nos planos em sequencia, na sucessão de cortes, na montagem, enfim, na qualidade incrível com que o diretor filmava e editava. Um filme de Alfred Hitchcock não é só o entretenimento da história que é contada, o que por si só já compensaria tudo, mas uma irretocável aula de cinema. Dá para sentir medo, divertir-se e aprender muito. Repito, uma irretocável aula de cinema.
Compensam, sobretudo, os Hitchcocks abaixo:
Vertigo
Um Corpo que Cai, 1958


Psycho
Psicose, 1960


The Birds
Os Pássaros, 1963


Rear Window
Janela Indiscreta, 1954


Rope
Festim Diabólico, de 1948

Sobre os autores

Acompanhe